Conforme tem sido amplamente divulgado, os sindicatos representantes dos motoristas de matérias perigosas apresentaram um pré-aviso de greve por tempo indeterminado a partir do próximo dia 12 de agosto de 2019.

Estes trabalhadores asseguram serviços de abastecimento de combustíveis e transporte de mercadorias, nomeadamente o transporte de mercadorias perigosas e outros bens essenciais à economia nacional, que se destinam à satisfação de necessidades sociais impreteríveis.

Os serviços mínimos a assegurar pelas empresas cujos trabalhadores vão iniciar esta greve não estão definidos por instrumento de regulamentação coletiva de trabalho, nem foram objeto de acordo entre os representantes das partes, competindo agora aos Ministros responsáveis pela área laboral e pelo setor de atividade em causa, nos termos da alínea a) do n.º 4 do artigo 538.º do Código do Trabalho.

Considerando os enormes constrangimentos de se adivinham em resultado da greve anunciada, a ANEME alerta as empresas suas associadas para a necessidade de se prepararem atempadamente, adotando as devidas medidas cautelares para assegurar a prossecução da sua atividade em segurança e com o menor impacto possível.